quarta-feira, 19 de novembro de 2014

O ballet da chuva


Olho pela janela e as gotas no céu escuro caem elegantemente, a cada gota escorrendo pela janela fixo o meu olhar. Os pés molhados de quem chega sempre correndo e abrindo a porta aceleradamente para não se molhar...

O céu escuro e o vento indeciso que não sabe para onde soprar, as folhas das árvores molhadas e o trovão que ruge constantemente fazendo o mundo silenciar.

As pessoas se escondem em suas casas e olham entre as vidraças. Crianças saem para tomar banho de chuva, e se divertem nos quintais. Enquanto a mãe com a feição preocupada chama seu filho para dentro, para não ficar resfriado.

A chuva vai acabando, e a harmonia vai se tornando lenta e calma. O sereno vai acalentando e acalmando....
Enquanto isso continuo aqui observando tudo e a tomar o meu chá de hortelã.

 Aceita?

Foto: Reprodução


segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Refúgio(amigos)

" E quando chorar
Tristeza pra lavar

Num ombro cai metade do sufoco " Tiago Iorc

Quem nunca se sentiu feliz, tão feliz que foi correndo compartilhar com aquele amigo a sua felicidade? E logo mais de um sorriso surgiu?
Quem nunca sentiu-se também sem rumo e com medo? 
Momentos em que um colo, um ombro amigo se tornam únicos e  muita das vezes o seu único refúgio. O silenciar para te escultar e a palavra amiga logo em seguida são o conforto.
E como é bom encontrar-se no abraço certo, aquele que é verdadeiro e se encaixa perfeitamente, onde cai metade do seu sufoco....
Meus amigos são poucos, mas especiais. 



Ps: Os que levo aqui dentro e que com certeza mantém as melhores histórias.





quarta-feira, 12 de novembro de 2014

A blusa azul

De repente não é mais como antes....

Acordo, olho ao lado na cama, você não se encontra ali.
Sinto falta dos encontros no final da tarde, da enorme dúvida que tínhamos sobre qual filme iriamos assistir, e no final sempre era você quem escolhia.

Dos abraços mais duradouros, e o refúgio que encontrava neles.

Lembra de como a gente gostava de conversar sobre as coisas que nos espantavam no mundo? E o que podíamos fazer para melhorá-lo?

Saudades de observar você quando estava distraído, da sua leitura no final da tarde, e de como gostava quando tínhamos gostos parecidos. 

De repente não sinto mais seu perfume, e já nem me lembro quais eram suas manias.
O tempo vai tirando isso de mim aos poucos, e me desespero aqui dentro. Solução? Nos encontrarmos novamente, mas minha realidade impede que isso aconteça agora. 

Estou ansiosa...Ansiosa para poder me reencontrar na sua camisa azul, aquela que me deixa com os olhos fixos na sua cor, que é imensa e bela como o nosso amor.
Azul como o céu e o mar, uma cor bela, uma cor que me deixa feliz e profundamente centrada em você. A cor que me emociona e me encanta, que tem sempre algo a eternizar na minha memória. 


Como a sua blusa azul, de botões pretos , amassada no final da madrugada.





Foto: tumblr

sábado, 8 de novembro de 2014

O Amor que não damos, por Drummond

“A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade. A dor é inevitável. O sofrimento é opcional.” 

―Carlos Drummond de Andrade










Dias acinzentados


Acordava aquela hora da tarde, o vento passando pela fresta da janela, uma vontade de ficar na cama e sonhar um pouco mais...

O dia pode estar um pouco nublado, aquele céu manchado e com toques de cinza. Você se sente com frio, sente falta de alguém, daquele abraço e do entrelaçar de

dedos, o pé gelado nas costas.... nos dias de domingo debaixo das cobertas, do sorriso com covinhas dele no quarto escuro.

Talvez você possa estar em dias nublados há um tempo, mas lembre-se que nem sempre é necessário esperar por alguém para trazer o dia ensolarado, mas sim que

você possa permitir que o sol possa nascer e então um dia compartilhar as tardes de verão com alguém.

Os dias frios são estonteantes.

Um livro, um abajur, um violão, uma olhada pelo vidro da janela e uma dose de chá de Hortelã, course!



sábado, 1 de novembro de 2014

Abrir dos olhos e aquele pensamento em você

Trilha sonora: Só agora - Pitty
https://www.youtube.com/watch?v=qTZuLazveyw


Ahhh, aqueles dias em que você acorda e logo cedo sente um vazio dentro de você, uma ausência e logo aquele pensamento instantâneo toma conta da sua mente, sim o pensamento nele. Você não queria, mas todos os dias o primeiro a tomar conta dos seus pensamentos logo após o abrir lento de suas pálpebras é dele. 
Você sorri. 
Pensa que ele poderia estar ali, ter acordado e visto seu despertar e seu sorriso. Sentir o gosto dos seus lábios pela manhã mesmo que fuja e queira escovar os seus dentes.
Ele poderia estar ali e sorrir pra você, aquele sorriso intimo, que só você sabe decifrar. 
Ele já esteve ali....
Você vai pensando em cada detalhe e criando um momento na sua mente, enquanto ainda está na cama novamente de olhos fechados.
Você se desprende daquele sentimento, e levanta num pulo, enquanto o cabelo faz um movimento reprimido naquele balançar.

Ele não quis. 
Ele não estava ali. 
Ele sabe o que você sente por ele.

Você apenas levanta, e as forças retornam. É preciso ser guerreira pra seguir em frente, e você pode garota! 
Ela passa o batom, maquiagem, e solta os cabelos....Sai.

Ele poderia estar ali, e por um segundo pareceu estar......

Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial

Copyright © Pensamentos inusitados | Traduzido Por: Mais Template

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes